Depois da tempestade

 

O título deste artigo extraído do já famoso livro do Ricardo Amorim, que tem o mesmo nome, não é sem motivo. Entendemos que o pior já passou, especialmente para o mercado imobiliário que sofreu os últimos 4 anos, e agora passa a nos inspirar um momento de confiança e traz de volta aquele Brasil de oportunidades.

Alguns dados importantes da economia já nos são favoráveis e começam a mostrar sinais importantes de aquecimento
nas atividades de serviço e comércio. O próprio PIB (Produto Interno Bruto) do país que no final do ano de 2016, os economistas
em sua grande maioria prognosticavam nenhum percentual de crescimento, hoje 3 meses depois, já se fala em 1,3% de crescimento, nada mal para uma economia que parecia andar para traz em 2017.

Este número mostrou uma recuperação da confiança na economia, com a inflação sendo contida nos últimos meses e recuperação de alguns setores da mesma, como o setor industrial. A ampliação do uso do Fundo de Garantia do Tempo de serviço (FGTS) para abater as prestações em atraso da casa própria, o aumento do valor máximo para aquisição do imóvel com recursos do FGTS, que passou de 950 mil para 1,5 milhões, vão dando um novo ânimo ao setor.

Nosso setor, a Habitação, reage bem a estes estímulos, e seu efeito em cadeia é logo sentido, quando ocorrem ajustes favoráveis e medidas saneadoras, como estamos presenciando. O efeito em cadeia na economia é quase imediato, pois contrata-se
mais mão de obra, compra de materiais de construção, aquisição de móveis, eletrodomésticos e tantos outros produtos e serviços. Essa é a importância da cadeia da Indústria Imobiliária. Este é o ano da virada, de aquecimento paulatino e sustentável,
de deixar de lado o pessimismo, e partirmos para um novo tempo de superação e confiança.

 

Guia Você Busca – Impresso – Pág. 10.

Edição 62 – Ano 6 – 2017 – Vale do Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado