INCC tem leve recuo de 0,08% em abril

 

Materiais e serviços puxaram o resultado. Mão de obra permaneceu estável no período.

Indicador que mede o custo da construção e utilizado para reajustar contratos de compra e venda de imóveis teve ritmo mais lento em abril. O INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado) apresentou recuo de 0,08% no período frente ao mês anterior, após reportar alta de 0,36% em março. O levantamento é da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Com o resultado, o indicador acumula acréscimo de 1,1% no ano e salto de 5,35% em 12 meses até abril. O componente referente a materiais, equipamentos e serviços puxou o desempenho negativo, passando de +0,26% em março para -0,18% em abril. Já a parcela relativa à mão de obra ficou estável, depois de subir 0,45% no mês anterior.

Das 7 capitais brasileiras analisadas, 4 registraram deflação – Brasília (de +0,07% em março para -0,15% em abril); Belo Horizonte (de +2,36% para -0,12%); Rio de Janeiro (de +0,08% para -0,04%) e São Paulo (de +0,18% para -0,16%). O aumento ficou desacelerado em Porto Alegre (de +0,06% para 0%) e Recife (de +0,04% para +0,03%). Somente Salvador apresentou aceleração (de +0,02% para +0,22%).

Informações: www.fgv.br

 

Guia Você Busca – Impresso – Pág. 26.

Edição 63 – Ano 6 – 2017 – Vale do Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado