Brasil participa do 1º Congresso Mundial de Construção Civil em Madeira

 

Evento acontece entre 12 e 15 de setembro na cidade francesa de Bordeaux.

O WoodRise é o primeiro congresso mundial a colocar em pauta a construção de prédios de madeira em altura. Ele acontecerá na cidade francesa Bordeaux entre os dias 12 e 15 de setembro e busca mobilizar líderes dos segmentos de inovação, arquitetura, design, engenharia e política.

Delegações e palestrantes de diversos países farão parte do congresso, como Alemanha, Áustria, Canadá, EUA, França, Inglaterra, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Suécia e Suíça.

O Brasil participa do evento com uma comitiva formada pela empresa florestal AMATA, o escritório de arquitetura Triptyque, a Coalizão Brasil Clima Florestas e Agricultura, e representantes do IBA (Instituto Brasileiro de Atuária), o IPT (Instituto de Pesquisas
Tecnológicas) e a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Entre os representantes da comitiva brasileira no evento estão:

– Fúlvio Vittorino, diretor do Centro Tecnológico do Ambiente Construído do IPT;
– Ligia Ferrari Torella di Romagnano, diretora do Centro de Tecnologia de Recursos Florestais (CT-Floresta);
– Dario Ferreira Guarita Neto, CEO da Amata;

Os arquitetos:

– Carol Bueno, da Tryptique, Gaú Manzi, do 23 Sul, Marta Moreira, do MMBB;
– Carlos Eduardo Mariotti, gerente do IBA;
– Euclésio Finatti, do SindusCon-PR (Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná).

Além de participar das discussões em torno da descarbonização da construção civil através dos prédios em altura em madeira, a Amata e a Triptyque vão apresentar o projeto de um edifício que será construído em madeira em São Paulo.

O edifício será erguido em um terreno de 1.025 m² no bairro da Vila Madalena, com uma área de 4,7 mil m² e será construído em CLT, um produto de alta tecnologia formado com multicamadas de madeira maciça em duas diferentes direções. Com dez andares e estrutura de madeira, pode ser comparado com uma construção tradicional em concreto, porém estima-se que sejam sequestrados 900 toneladas de CO2 da atmosfera e menor tempo de execução da obra.

Em 2016, o Brasil assinou na COP21 um importante acordo para cuidar do nosso planeta e se comprometeu a reduzir a emissão de gás carbônico em 43% e reflorestar 12 milhões de hectares. A construção em madeira pode ajudar a resolver um problema crônico da indústria da construção, hoje responsável pela emissão de quase metade de todo o dióxido de carbono do mundo.

Informações: http://wood-rise-congress.org

 

Guia Você Busca – Impresso – Pág. 26.

Edição 67 – Ano 6 – 2017 – Vale do Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado