Consórcio imobiliário evoluiu 27,3% em 9 meses

 

Negócios contratados, participantes e tíquetes também cresceram no período em todo o país.

Em bom momento, o mercado de consórcio imobiliário manteve um desempenho positivo nos nove primeiros meses do ano. No período, as vendas de novas cotas alcançaram a marca de 201,65 mil novas adesões em todo o país, um salto de 27,3% sobre idêntica etapa de 2016. Os dados são da Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios).

Os negócios contratados (créditos comercializados) também evoluíram, com incremento de 48,1% na mesma comparação, para R$ 27,20 bilhões. O tíquete médio registrou uma valorização de 5,3% em setembro sobre igual mês de um ano antes, a R$ 136,3 mil.

O volume de consorciados ativos consolidado avançou 2,5% em setembro, para 815 mil participantes. Os correspondentes créditos concedidos (disponibilizados) ficaram praticamente estáveis em R$ 5,40 bilhões entre janeiro e setembro. As contemplações (quando o consorciado tem a oportunidade de adquirir o imóvel) também registrou estabilidade, com 53,85 mil beneficiados.

A utilização parcial ou total dos saldos das contas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) totalizou pouco mais de R$ 100.726 milhões, feitos por 2.533 brasileiros participantes do consórcio de imóveis nesse ano até setembro.

Sistema de Consórcios

Na conclusão de setembro, o sistema de consórcios – considerando todos os segmentos – mais uma vez recorde de novas cotas, com crescimento de 9,4% no ano, para 1,75 milhão de adesões. “A manutenção do ritmo de vendas anotado em setembro em relação aos meses anteriores desse ano, inclusive com recordes em todos os setores, bem como a alta significativa nos créditos comercializados, nos permite projetar crescimento do sistema de consórcios até dezembro”, diz Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da associação.

Os créditos comercializados relativos às adesões atingiram R$ 73,57 bilhões, acréscimo de 29,3% no período. O tíquete médio de R$ 43,9 mil em setembro proporcionou valorização de 24% sobre um ano antes.

“A grande procura pela modalidade como investimento pessoal, familiar ou empresarial, de acordo com os resultados constatados na pesquisa da Quorum Brasil, resultou em 78% dos entrevistados informando ser o consórcio um bom investimento, refletindo o comportamento consciente do consumidor quanto ao conhecimento e adoção dos conceitos da educação financeira, ao praticá-los na gestão de suas finanças”, ressalta Rossi.

“Como pode ser observado nos diversos indicadores do Sistema, a evolução, que teve início a partir do segundo quadrimestre do ano passado, vem à frente da gradativa recuperação já percebida em vários setores da nossa economia. Isso, certamente, está contribuindo para a reativação dos negócios nos diversos elos da cadeia produtiva”, pontua o executivo.

Informações http://abac.org.br

 

Guia Você Busca – Impresso – Pág. 30.

Edição 69 – Ano 6 – 2017 – Vale do Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado