Crédito imobiliário movimentou R$ 3,15 bi em novembro

 

Em todo o país, foram financiadas 13,5 mil unidades para compra ou construção durante o período.

Em ritmo mais lento, o crédito imobiliário com recursos da poupança movimentou em novembro R$ 3,15 bilhões. O montante ficou 14,7% menor que o contabilizado em outubro e 20,9% abaixo do penúltimo mês de 2016. É o que aponta um novo balanço divulgado pela Abecip (Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança).

No acumulado dos 11 primeiros meses de 2017, as contratações somaram R$ 39,47 bilhões, um recuo de 4,3% ante idêntica etapa de um ano antes. Já em 12 meses até novembro, SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) para compra ou construção de unidades acumularam R$ 44,85 bilhões, um declive de 2,5% frente ao período precedente (12 meses até novembro de 2016).

Unidades

Em novembro, os recursos da poupança foram utilizados para financiar 13,5 mil imóveis, uma baixa de 14,6% frente ao mês anterior e retração de 10,9% face um ano antes. Nos 11 meses iniciais do ano passado, as contratações abrangeram 161,05 mil unidades para compra e construção, um decréscimo de 10,1%, na mesma comparação anual. Em 12 meses, foram financiados 181,50 mil imóveis, queda de 9,8%.

Captação da Poupança

Um dos principais recursos para o financiamento imobiliário, a caderneta de poupança ficou positiva em R$ 3,76 bilhões, mostrando recuperação em relação ao mês anterior (-R$ 1,67 bilhão). Comparado ao mesmo mês do ano passado (+R$ 2,6 bilhões), também se observou melhora.

No acumulado de 2017, a captação líquida de poupança dos agentes do SBPE ainda está negativa, (-R$ 184 milhões), mas em volume muito menor do que o verificado em igual período do ano passado (-R$ 40,2 bilhões).

Na análise da Abecip, embora a captação líquida ainda esteja no campo negativo em 2017 (janeiro a novembro), a expectativa é de reversão em dezembro, permitindo que a caderneta de poupança encerre o ano no campo positivo. Em dezembro, sazonalmente ocorre maior volume de entradas líquidas, em decorrência de recebimentos típicos de fim de ano, como é o caso de parte do 13º salário.

Após dois anos com captação líquida fortemente negativa, em maio deste ano a poupança começou a apresentar resultados positivos, seguindo-se trajetória crescente dos saldos, que encerraram novembro em R$ 546,5 bilhões, crescimento de 8,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Informações: www.abecip.gov.br

 

Guia Você Busca – Impresso – Pág. 26.

Edição 71 – Ano 7 – 2018 – Vale do Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado