Estados Unidos investem em imóveis especiais para a terceira idade

Imóveis específicos para a terceira idade. É isso que os Estados Unidos vem fazendo, com base em números sólidos desse potenciais compradores. De acordo com projeções das Nações Unidas, uma em cada nove pessoas no mundo tem 60 anos ou mais. O Brasil, embora ainda esteja a passos lentos na construção de moradias adaptadas, já tem mais de 26 milhões de idosos, o que representa 13% da população, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com sede em Miami (EUA), a Elite International Realty, consultoria de imóveis comandada por brasileiros, está investindo em empreendimentos que atendam ao público idoso. Um dos exemplos é o Aventura Parksquare, na Flórida.

Trata-se de um complexo formado por condomínios residencial e de escritórios, hotel, centro de bem-estar e uma comunidade para a terceira idade. O empreendimento conta com uma instalação de luxo para repouso para idosos e 144 apartamentos adaptados: com portas mais largas, barras de apoio nos banheiros, tomadas mais baixas e acessos externos facilitados.

“Um imóvel para esse público deve favorecer a locomoção e a permanência do idoso. Barras de ferro pelas casas, adequar banheiros com pisos que não são escorregadios, evitar escadas, coisas elétricas que possam causar algum problema”, detalha Léo Ickowicz, sócio da Elite.

Segundo ele, nos Estados Unidos se dá muito valor a esses empreendimentos. “Existem comunidades com casas construídas especialmente para pessoas que tem mais de 55 anos, os mais novos nem podem morar lá. Não é um lar de velhos e sim um condomínio particular. No Brasil, estão começando a investir nisso, mas não com toda a infraestrutura de apoio que o imóvel tem nos Estados Unidos”.

José Ricardo Ramos Cerqueira, CEO da J.R.Cerqueira Negócios Imobiliários, baseada em Alphaville (SP) e com parceria nas divisões internacionais da principais incorporadoras da Flórida, diz que muitos incorporadores optam por construírem empreendimentos para a terceira idade nos Estados Unidos por se conseguirem programas de incentivo do governo.

“No Brasil é mais difícil um idoso comprar um imóvel do que nos Estados Unidos, principalmente quando é necessário financiar. Muitas instituições financeiras no Brasil não aprovam empréstimos longos dependendo da idade, inviabilizando a compra para a maioria”, comenta Cerqueira.

Ele afirma que nos Estados Unidos as regras são mais flexíveis, fazendo com que esse mercado destinado à terceira idade seja cada vez mais acentuado. “Por isso tantos empreendimentos com este perfil estão sendo erguidos”.

 

Fonte: www.revista.zapimoveis.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado