Governador João Doria Jr. faz balanço de seus 70 dias de gestão

O governador do Estado de São Paulo, João Doria Jr., participou do segundo encontro deste ano da política Olho no Olho do Secovi-SP, nesta segunda-feira, 11/3, na sede da entidade. Para um público superior a 400 pessoas, entre empresários do setor, secretários estaduais e municipais de São Paulo, deputados federais e estaduais, vereadores da Capital e representantes de entidades de classe, Doria fez um balanço dos 70 dias de trabalhos “intensos e positivos” à frente do governo do Estado. “Faço menos política e trabalho mais”, disse.

Desse rápido balanço de gestão, Doria destacou o processo de desestatização implantado por seu governo, dando autonomia para secretários decidirem e realizarem ações de suas pastas. Como exemplo, citou o programa em desenvolvimento pelo vice-governador, Rodrigo Garcia, também titular da Secretaria de Governo, e Henrique Meirelles, secretário de Finanças do Estado. De acordo com ele, estão em andamento 222 projetos, como renovação das concessões de administração das rodovias estaduais, com a finalidade de diminuir os valores das tarifas de pedágio e criar o programa “tarifa ponto a ponto”, cujo objetivo é cobrar somente o percurso da estrada usado pelo veículo; desenvolver processo de leitura automática de pedágio e criar a tarifa flexível, com desconto de 50% do valor de pedágio para quem trafegar entre as 22 horas e as 5 horas.

Doria aproveitou a oportunidade para falar sobre a futura privatização do Porto de Santos. Disse que o assunto, por ser de responsabilidade do governo federal, foi objeto de encontro com o presidente Jair Bolsonaro.

Habitação – Provocado pelo presidente do Secovi-SP, Basilio Jafet, o secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary, aproveitou para contar aos presentes do “ritmo acelera” de gestão do governador. “Serão 35 mil horas de trabalho com motivação, foco, objetividade e agilidade na decisão”, ressaltou.

Secretário de Habitação Flavio Amary fala sobre metas de sua pasta

Seguindo esse compasso, Amary anunciou que será lançado oficialmente até o mês de abril o programa habitacional Nossa Casa, cuja proposta é construir 60 mil unidades habitacionais para famílias com renda de até 10 salários mínimos, nos próximos quatro anos. As regras do programa ainda estão sendo finalizadas para serem publicadas.

Público acompanhou com atenção apresentação do governador

Estão no radar o governo do Estado a privatização do Aeroporto de Congonhas, a desativação do Campo de Marte para pousos e decolagens – a pista será preservada para práticas poliesportivas e será instalado um colégio militar. O governador também já se reuniu com a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, para definir o futuro do projeto de transferência da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo). “Em breve, a nova área de entreposto será anunciada pelo governo federal à Prefeitura de São Paulo”, disse, adiantando que a atual área da Ceagesp dará lugar a um centro de inteligência em tecnologia da informação, a uma nova Fatec, Fapesp e Embrapa, com incentivo à pesquisa. Na avaliação de Basilio Jafet, o encontro foi bastante positivo e reforça a posição de João Doria Jr. como uma das principais lideranças políticas do País.

Durante encontro da política Olho no Olho do Secovi-SP, o dirigente apresentou os resultados de sua administração à frente do governo do Estado de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado